BABESIOSE CANINA: Sinais clínicos, prevenção e tratamento.


Mais uma vez volto a tocar num tema bastante importante e que está diretamente relacionado a presença de carrapatos no cachorro. Desta vez, vou falar sobre a Babesiose Canina, uma doença grave e que leva com frequência o animal a morte! Muito cuidado com ela!
A Babesiose canina é uma das doenças conhecida como “doença do carrapato“. Esta pode ser causada por um tipo de parasita conhecidos como hemoprotozoários, que parasitam as hemácias dos nossos cachorros. Ou seja, este parasitas “moram e se alimentam” dentro dos glóbulos vermelhos do sangue, fazendo com que estes acabam se rompendo, levando a um dos principais sintomas, que eu já vou falar com você.
COMO MEU CACHORRO PODE “PEGAR” BABESIOSE CANINA?
Em outras palavras… Como é a forma de transmissão da Babesia sp. para os nossos cães?
Mais uma vez os carrapatos são os culpados por transmitir esse tipo de hemoprotozoário aos cães!
Logo, eu preciso dizer aqui mais uma vez da importância de combater os carrapatos de qualquer forma!
Se você está com dificuldades para acabar com eles, VEJA agora mesmo essa apresentação!
COMO EU POSSO DESCONFIAR QUE O MEU CACHORRO ESTÁ COM BABESIOSE CANINA?
A Babesiose canina pode se manifestar de duas formas diferentes, sendo uma mais branda e lenta e a outra bem rápida e agressiva. Isso vai depender do tipo de cepa infectante (como se fosse um tipo de espécie mais agressiva).
A doença pode ser dividida em 3 fases: Hiperagudas; Agudas e Crônicas.
A Babesiose canina hiperaguda é bem rara de acontecer, mas é caracterizada por extensos danos nas células, o que pode levar o cachorro ao óbito em poucos dias se não for diagnosticada corretamente.
O cachorro fica muito pálido (com uma anemia intensa) e normalmente vai a óbito devido a falta de oxigenação dos tecidos, principalmente o cérebro.
A Babesiose canina Aguda se caracteriza por uma fraqueza generalizada (prostração, falta de apetite…), febre, icterícia, vômitos, aumento dos linfonodos (gânglios) e do baço.
Também vão apresentar anemia, baixa de plaquetas e até sangue na urina são comuns.
Já no caso da Babesiose canina Crônica, os sintomas podem nem aparecer e o cachorro parecer até que está normal, sem a doença. Quando há sinais clínicos nesta fase, incluem febre intermitente, perda de peso, linfonodos acometidos e diminuição de apetite.
Em alguns destes casos, mesmo a babesiose canina sendo mais branda, se o cachorro tiver algum problema de imunidade baixa ou mesmo for acometido por outra doença, as manifestações clínicas provenientes da babesiose podem se agravar!
Por ser uma doença sistêmica, que afeta todo o sangue do animal também pode haver complicações em outros órgão como nos rins, coração, neurológicas e hepáticas.
COMO TER CERTEZA QUE O CACHORRO ESTÁ COM BABESIOSE CANINA?
Primeiro de tudo, se o seu animal estiver apresentando qualquer um dos sintomas que eu disse acima, leve-o logo a um médico veterinário de sua confiança! Jamais tente tratá-lo com base no que o seu vizinho fez que deu certo para o cachorro dele, por exemplo… você pode estar simplesmente piorando o quadro do seu cachorro!
Mas o diagnóstico normalmente é feito por meio de um histórico detalhado do paciente, um exame físico feito por médico veterinário e os exames complementares, como exames de sangue para hemograma, bioquímicas, teste sorológicos e PCR.  A ultrassonografia é importante também nestes casos, pois como disse, pode ter alterações em diversos órgãos.
COMO TRATAR BABESIOSE CANINA?
Como em todos os meus artigos, para tratar qualquer doença, você deve levar o seu cachorro ao médico veterinário. Ele é o único capacitado e autorizado para isso.
Mas em alguns casos, é inclusive necessário a internação do cachorro para poder ser realizada transfusão sanguínea e alimentação por sonda.
COMO PREVENIR A BABESIOSE CANINA?
A prevenção da Babesiose canina, como qualquer outra doença transmitida por carrapatos é justamente a eliminação destes parasitas do ambiente e principalmente do cachorro.
Utilizar preventivos contra carrapatos mensalmente ou de acordo com a indicações do produto e do veterinário, diminui muito a chance do seu animal ser picado e com isso, contrair a doença.
Mais importante ou tão importante quanto prevenir que o seu animal tenha carrapatos, é controlar o ambiente, para que ele esteja livre desses parasitas!
Portanto, leve muito a sério quando se tratar de prevenção contra carrapatos! Eu sei que não é fácil acabar com eles, mas devemos fazer de tudo para evitá-los e se presentes, de eliminá-los!
LEMBRE-SE! Se você está com dificuldades para acabar com eles, VEJA agora mesmo essa apresentação!
O que você achou deste artigo?
Logo abaixo do título deste artigo, você pode avaliá-lo. Sua avaliação é importante para eu saber se os artigos que eu escrevo estão sendo bons para você! Não deixe de dar o seu voto, por favor!
 

 

Fonte de consulta: “Hemoparasitoses em Cães e Gatos: do diagnostico à prevenção”

Recomendados Primeiro Para Você:

  • [email protected] em 06:46

    Meu cachorro tem u Sagem muito doce eu acho que ele só aparece carrapato de bola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *