OBESIDADE CANINA: SAIBA OS RISCOS DE TER UM CACHORRO OBESO.


Você sabia que a obesidade canina hoje em dia é um problema sério e vem aumentando consideravelmente nos últimos anos? Pois é, um cachorro gordo pode ter as mesmas complicações que uma pessoa obesa, ou seja, problemas nas articulações, circulatórios, cardíacos e alguns outros que eu ainda vou comentar neste artigo.
 

Mas você sabe por que a obesidade canina está mais comum hoje em dia?

Muitos proprietários de cachorros acreditam que o seu animal se enjoa de comer sempre aquela mesma ração e com isso acabam oferecendo outras formas de alimentos, inclusive dando restos da sua própria comida.Não que você não possa dar Alimentação Natural para cães, mas precisa ter orientação! Se quiser, veja aqui sobre o Guia da Alimentação Natural para Cães.
Acontece que os cachorros comem muito mais por conta do cheiro da comida, do que propriamente pelo paladar que ela proporciona. Isto por que eles apresentam milhões de células olfativas em relação as nossas. Logo, o que atraem eles para comer é principalmente o cheiro da comida e não o paladar!
E o que acontece quando damos uma comida caseira para eles? Normalmente oferecemos essa comida aquecida e isso faz com que solte muito mais aroma, proporcionando uma sensação de prazer enorme para o cachorro.
O problema é que isso passa a se tornar um hábito. Num dia começa a se dar um petisco para ensinar alguma coisa, depois esse petisco que só era oferecido como forma de recompensa, passa a ser dado a qualquer hora, sem um motivo claro, apenas por que o dono quis agradar o seu melhor amigo (se este ato for controlado e com petiscos próprio para cachorros, ainda é liberado, desde que seja moderado!).
A parti daí, outras formas de petisco começam a surgir, como pão, doces, biscoitos (de gente) e tudo o que você pode imaginar que uma pessoa come, ela passa a dar para o seu cachorro.
O final dessa história você já conhece…

 

O fato dos cachorros hoje em dia ficarem a maior parte do tempo presos em apartamentos, inclusive sem nunca saírem de casa, também contribui bastante com esse aumento pela falta de atividade física.
A genética também é um dos motivos, mas este é um dos menos importantes. Realmente existem algumas raças de cachorro mais predispostas à obesidade, como por exemplo:
Basset hounds,
Beagles,
Cockers spaniels,
Dachshunds,
Labradores
Vale ressaltar que a obesidade canina tem maior incidência em animais adultos ou idosos, que diminuem a sua atividade física e metabólica.
 
Olha aqui um exemplo de dois cães da raça Dachshund, sendo um com peso normal e o outro obeso.
 
 

Mas então, qual o grande problema em se ter um cachorro obeso?

 

Neste esquema, eu separei os principais problemas que levam um cachorro a obesidade. Percebam que o primeiro deles são justamente os petiscos e guloseimas. Estes por si só, contribuem para a obesidade canina de forma direta, independentes dos outros fatores.
Vejam que os demais fatores necessitam de que algum outro ocorra também, para que eles levem à obesidade canina.
Por ex. um animal que se alimente da forma correta, seja com ração de boa qualidade ou com alimentação caseira balanceada e específica para ele, muito dificilmente ficará obeso caso não faça atividades físicas com alguma frequência.
Da mesma maneira que um animal idoso não será obrigatoriamente obeso simplesmente por que é idoso. Ou um cachorro de uma raça com maior predisposição a obesidade, não será necessariamente obeso por causa disso. Nestes casos e no fato do animal ser castrado, eles precisam de que algum outro fator também ocorra para levar à obesidade canina.
Um dos maiores problemas depois que um cachorro fica obeso, é que ele entra em um ciclo de causa – efeito – causa da obesidade e das injúrias articulares.
Por que aquele cachorro obeso, que antes não tinha nenhum problema articular, com o peso extra, passa a sobrecarregar mais as articulações e com isso os problemas começam a aparecer.
O cachorro então desenvolve uma artrite ou uma artrose, hérnias de disco e com isso começa a sentir dor para caminhar e se mexer. Consequentemente, diminui a sua atividade física e por com isso, tende a ficar cada vez mais obeso e piorar cada vez mais os problemas articulares se nada for feito!
E o final desse ciclo é TRÁGICO!!!  O cachorro pode ir a óbito por vários motivos que foram inicialmente causados pela obesidade, como os problemas cardíacos, circulatórios, endócrinos (muitas das vezes leva à diabetes por causar resistência à insulina), hiperlipidemias, problemas respiratórios, surgimento de câncer, desordens reprodutivas, problemas de pele e pancreatite.
Com todos esses possíveis problemas, imagina o risco cirúrgico de um cachorro obeso que precisa ser submetido a uma cirurgia!

Como conseguir resolver este problema de obesidade canina?

(o texto abaixo foi escrito pela Dra. Márcia Jericó)
Os programas de redução de peso, objetivando o tratamento da obesidade, envolvem a constatação das morbidades relacionadas ao excesso de peso, a conscientização e colaboração do proprietário, a instituição de dieta específica para restrição calórica, a instituição de um plano de atividades físicas e a monitoração periódica do paciente.
A instituição de dieta específica para restrição energética é norteada pelo cálculo de calorias a serem administradas para um determinado peso ideal, baseada na necessidade energética de manutenção, e a escolha de dietas que contenham menor densidade calórica, com alto teor de fibra e baixa concentração de gordura.
A atividade física é a forma mais eficiente de aumentar o gasto energético e de minimizar as consequências da perda de peso sobre a atividade metabólica do indivíduo, sabendo-se que o déficit ponderal acentuado diminuiu a massa magra corpórea.
 A atividade física destinada aos cachorros obesos pode ser implementada sob a forma de caminhadas, corridas ou sob a forma de natação, sendo esta última a forma preferencial a ser oferecida aos animais obesos com problemas ortopédicos.
 
 
A obesidade deve ser encarada como uma doença crônica e que acarreta prejuízos à saúde e a longevidade dos pacientes caninos e felinos.
Todas as atitudes do médico veterinário de conscientização e de combate aos males que o excesso de peso acarreta são necessárias, bem vindas e passíveis de grande realização profissional.
 
Veja aqui um quadro com o peso ideal para algumas raças.
 
 
 

 

Recomendados Primeiro Para Você:

  • Doutor tenho uma shih tzu obesa de cinco anos,começou pouco e a ração e sempre Light.Nao consigo fazer ela emagrecer…me ajude.

  • Olá dr! Que bom que me respondeu!
    Olha só… Troquei a ração. Ganhei uma amostra da Pro Plan e fiz o teste, antes claro, misturei com a antiga, Premier e o resultado?! Só comeu a Pro Plan. Ela é muito seletiva, chata demais p comer e p tomar remédio então!? Eu sofro, viu!? rs
    Bom, então mudei de vez pra Pro Plan. Ontem, dps de 2 dias diretos só da nova ração, coloquei UM grão da antiga e adivinha?! Ela comeu toda a ração e só ficou o tal grão solitário da Premier, pode isso?! A única resposta p mim é realmente ela ter enjoado da Premier… Agora vamos aguardar cenas dos próximos capítulos, né?! rs
    Muuuuito obrigada pela sua atenção!
    PS.: P fazer parte dessa lista VIP é só cadastrar o meu e-mail?! Se sim, já o fiz!

  • Olá Marcely! Que ótimo que você está gostando do blog e que ele está sendo útil para você, afinal de contas, a intensão com ele é esta mesma, poder levar as informações a várias pessoas e com isso ajudá-las com seus cães!
    Olha Marcely, dificilmente um cachorro enjoa de uma ração se ele como SÓ a ração. Se ele come outras coisas além da ração ou misturado com ela, ai sim, ele pode deixar de comer a ração para comer as outras coisas que ele possa dar preferência. No seu caso, esses petisquinhos já podem ter sido o motivo para isso. Mas é muito importante observar como ela está no geral, seu comportamento, ingestão de água, aspecto das fezes, pois quando um animal perde o apetite, pode indicar algum problema. Por isso é importante saber diferenciar se é manha para ganhar a comida que ela está esperando ou se realmente ela não está bem.
    Os cães são muito apegados ao donos e normalmente tem um que eles adotam como seu "preferido" e essa sua viagem pode sim, ter afetado o comportamento dela. Agora, procure saber se o seu marido não deu nada de diferente para ela neste período, como biscoitinhos, pão e qualquer outra coisa.
    Enfim, se ela está bem de saúde, deve ser só manha mesmo. Seja firme e mantenha os horários, retirando a ração após 15 de oferecer. Ela ficará com fome e voltará a comer, caso contrário, sugiro levar no veterinário para maiores esclarecimentos.
    Se tiver mais alguma dúvida, me mande um e-mail e faça parte da minha lista VIP: dicasboaspracachorro@gmail.com
    Abraços

  • Boa tarde, Dr. Alexandre!
    Primeiro quero dizer que seu blog/site é sensacional! Tem virado meu "livro" de leitura para aprendizagem! Muitas dicas boas, para eu pôr em prática com a minha Lana (yorkshire de 1 ano e 9 meses q adotei há 5 meses – pesa 2,9kg). Onde ela vivia, a comida era de qualidade bem inferior e ficava à vontade. Qdo chegou na minha casa, coloquei horários e mudei p ração Premier. Gostaria de tirar uma dúvida… Quando eu sei que ela anjoou da ração??? Antes, no começo, ela devorava a Premier para yorkshire, era só falar em "papar" que ficava td eufórica, hj, n qr nem saber, cheira, vira a cara, come uns grãozinhos super devagar, até senta p comer, qdo come!!!! N misturo NADA, só fico com dó e dou uns petisquinhos q já vi q é super errado e n darei mais, acabou, nem comprei mais…
    Certo dia, passando aspirador de pó na casa, notei q ela com medo do aspirador "pegar" a comida dela, foi lá proteger o pratinho e acabou comendo td a ração! Fiz isso umas 3x e n fiz mais p ela n comer forçada. Bom, n sei o q faço, se troco, se é frescura… Notei isso dps q saí de viagem por 15 dias e ela ficou mt tempo em casa sozinha, só pela manhã e noite ficava com meu marido, será q tem a ver tb?! Me dá uma luz?! rs
    Desde já, agradeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *