Raça Maltês: Tudo o que Você Precisa Saber!


A Raça Maltês é conhecida pela sua pelagem branca, super macia e pelo jeito dócil e ágil.

De pequeno porte, classificado como cão do grupo Toy, é considerado uma das raças mais antigas do mundo, tendo registros de sua criação no ano 500 a.C. na República Malta, na Europa.

Tem muita energia e tem muitas outras funções além de fazer companhia.

Raça Maltês: Origem

Apesar de muitos acreditarem que ele veio da Europa, foi encontrada uma estátua aonde existia um Bichon (outro nome da raça) de pelos achatados no túmulo de Ramsés II.

Seu nome não significa que veio da Ilha de Malta na Europa Mediterrânea, mas veio da palavra “málat”, termo semítico que significa refúgio/porto.

Seu nome veio da palavra “málat”, termo semítico que significa refúgio/porto.

Seus ancestrais viviam nos portos de cidades marítimas onde eram muito usados como caçadores de ratos e camundongos que eram abundantes na época nestes locais.

Aristóteles menciona uma raça pequena de cachorro com o nome de “canes malitenses”.

Este cãozinho era conhecido na Roma Antiga, companheiro favorito das mulheres casadas com os romanos livres, as matronas, e foi elogiado pelo poeta Strabon, no primeiro século antes de Cristo.

Raça Maltês: Temperamento, Aptidões e Educação

É muito inteligente, doce e brincalhão.

Tem função de cão terapeuta sendo usado como companhia para pessoas doentes e acamadas além de participar de competições de agility, tracking e obediência.

Muito tranquilo e amistoso, porém dependendo do jeito como é criado, pode apresentar comportamento extremamente apego ao seu tutor, principalmente quando na presença de estranhos.

Costuma se dar bem com outros animais.

Latem principalmente quando chega alguém ou quando estão muito animados.

Raça Maltês: Conselhos sobre a Raça

É recomendável que desde filhote acostumem-se com mais pessoas e animais, pois assim evita-se que ele fique agressivo ou genioso demais.

Apesar de hoje serem considerados cães de companhia, seus instintos são de cão caçador.

Apesar de ser muito obediente, não costuma atender comando de qualquer pessoa. É preciso ter um vínculo com ele para que ele obedeça.

Não é recomendado deixá-lo sozinho por muito tempo pois pode sofrer de ansiedade de separação, já que é muito apegado ao seu tutor.

Pode não ser muito indicado para crianças pequenas por ser muito pequeno e delicado principalmente enquanto filhote.

Raça Maltês: Características e Pelagem

Segundo a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia), o Maltês é um cão pequeno com o corpo alongado. Possui pelagem branca e longa. Sua cauda segue o mesmo padrão, ficam com a pelagem comprida.

Elegante, com um orgulhoso e distinto porte da cabeça.

Considerado bastante alerta, ativo e leal.

Não passa dos 25 cm e pesa cerca de 4 kg.

A pelagem precisa de cuidados especiais.

Por ser branca e longa, é essencial o banho e tosa periódicos.

Escovação diária mantém a característica dos pelos lisos e macios.

Existe a tendência de desenvolver lágrima ácida, que deixa manchas perto dos olhos, focinho, queixo. Para sanar este problema, consulte um médico veterinário, pois existem algumas causas para isso estar acontecendo. Em alguns casos, a resolução pode ser até cirúrgica.

Existem também rações específicas para a raça que prometem amenizar estas manchas, mas isso vai depender muito mais da origem do problema, por isso a importância de se levar a um médico veterinário, de preferência um oftalmologista.

É comum usar a tosa bebê para evitar que os pelos desenvolvam nós e fiquem arrastando pelo chão.

Raça Maltês: Saúde

Apesar de parecer frágil e delicado, o Maltês é muito saudável e tem pouca tendência a desenvolver doenças (obviamente que isso vai depender também de sua criação e a saúde herdade de seus pais).

Possui pouca predisposição à doenças, mas as mais comum são: luxação da patela, problemas hepáticos, cardíacos e de pele.

Como sempre destacamos, a visita periódica ao Médico Veterinário vai prevenir e orientar o tutor sobre doenças ou sanar dúvidas de maneira mais eficaz.

A expectativa de vida do Maltês é de cerca de 15 anos.

Conforme a idade avança, ele é como todo e qualquer cãozinho, pode desenvolver problemas nos olhos, ficar surdo, os dentes ficam mais frágeis.

Quando atingir uma idade mais avançada, busque o médico veterinário para que este possa dar dicas especiais e valorosas para lidar com seu cão velhinho.

Curiosidades

  • O Maltês está na presente em uma das tapeçarias mais famosas da História da Arte. A Dama e o Unicórnio data de 1500, é de um artista desconhecido e está exposto no museu Cluny, em Paris;

  • Os antigos egípcios e depois os europeus, acreditavam que o cão tinha a capacidade de curar os doentes. Eles colocavam o Maltês no travesseiro da pessoa acamada;

  • Foi Henrique VIII que levou o Maltês até as Ilhas Britânicas. Até o fim do século XVI ele havia se tornado o animal de estimação favorito da realeza dali;

  • Foi um dos favoritos da rainha Elizabeth I, Mary Queen of Scots e Rainha Vitória;

  • Muitos pintores como o Goya e Sir Joshua Reynolds incluiram o Maltês em suas pinturas;

  • Eram muito usados para caçar ratos e outros roedores. Seu tamanho pequeno inclusive, era uma vantagem, pois ele cabia em tocas e esconderijos destes animais;

  • Charles Darwin situou a origem do Maltês em 6.000 a.C. ;

  • Ao longo dos séculos ficou conhecido com inúmeros nomes: “o confortador”, “o cão das damas romanas”, “cãozinho antigo de Malta”, etc;

  • Não se tem registro da real origem da raça, sobre quais cruzamentos deram origem ao Maltês.

Agora com estas informações, sabendo que este lindo amiguinho passou por toda a História, ficou ainda mais sedutora a ideia de ter um como sua melhor cia,não é?

Recomendados Primeiro Para Você: