VERME DO CORAÇÃO EM CÃES: O que é, como prevenir e tratar.


Muito se fala de vermes em cachorros, da importância da vermifugação desde filhote e a continuação ao longo da vida do animal. Mas quando falamos de verme do coração em cães, poucas pessoas de fato conhecem e, menos ainda, previnem seus animais contra este parasita que pode até matar o seu cachorro! Portanto, leia atentamente as orientações que eu escrevo neste artigo.
O que é o Verme do Coração em Cães?
Verme do coração nada mais é do que a denominação popular para um tipo de parasita chamado Dirofilaria immitis, causador da doença Dirofilariose.
Ele é semelhante a uma lombriga, mas ao invés de se alojar nos intestinos do cachorro, ele fica dentro do coração e por isso seus problemas e complicações são bastante importantes!
A doença tem relação direta com o número de vermes, a duração da infecção e a resposta do hospedeiro, no caso, o cão.
 
Como o cachorro pode contrair o Verme do coração?
A transmissão da Dirofilariose acontece quando um mosquito que esteja infectado por larvas da Dirofilaria immitis, as chamadas microfilárias, pica um cão e durante a sua alimentação, estas larvas passam pelo aparelho bucal do mosquito e caem diretamente na corrente sanguínea do cachorro.
Pronto, basta que pelo menos duas dirofilárias, sendo um macho e uma fêmea, tenham passado para o cachorro que estas vão crescer e se alojar dentro do coração e vão começar a se reproduzir, gerando mais microfilárias.
Estas só conseguem se desenvolver no interior do mosquito, logo, elas só se tornarão adultas dentro do cachorro se houver mosquitos para sugarem o sangue do animal contaminado com as microfilárias.
Se o cão for picado algumas vezes por mosquitos parasitados e isso não for controlado, vai chegar num ponto no qual o coração do cachorro não vai mais conseguir bombear o sangue corretamente e o cão vem a óbito.
Só para você ter uma ideia, estes vermes adultos podem chegar a 30, 35 cm de comprimento! Imagine dezenas deles dentro do coração do cachorro… não tem como o sangue circular normalmente!
Qual a incidência desta doença?
Varia com a localização, mas está disseminada.
 
Locais com lagoas e lagos, como a região dos Lagos, no Rio de Janeiro, apresentam grandes riscos aos animais sem proteção, pois é uma região endêmica da doença (muitos mosquitos e animais parasitados neste região).
“Ah, mas eu moro longe de lagos e lagoas e por isso não preciso me preocupar com a Dirofilariose Canina, certo?”
Errado!
O que tem acontecido ultimamente é um aumento na casuística de cães com Dirofilária no Rio de Janeiro e em outras cidades.
Isso se deve ao fato de que cada vez mais os tutores estão levando seus cachorros juntos nas viagens para regiões endêmicas. Entretanto, não fazem o preventivo antes e acabam voltando de lá com o cão parasitado.
Chegando de volta à cidade, este mesmo cão poderá ser picado por um mosquito e este irá se contaminar com as microfilárias. Depois, este mosquito contaminado poderá voltar a picar o próprio cão ou outros próximos e por ai vai se espalhando a doença, mesmo em locais sem incidência alta.
Quais sinais o meu cachorro pode apresentar se ele estiver com o Verme do Coração?
Normalmente, os cães não apresentam sintomas ou manifestam apenas sinais mínimos, como uma tosse ocasional. Estes cães são classificados como grau I da doença e, se forem diagnosticados neste período, têm boas chances de conseguir fazer um tratamento e conviver com a enfermidade. Já vou falar melhor sobre isso depois.
Agora, dependendo da infestação e do tempo que o cão já esteja acometido, ele pode começar a apresentar tosse com mais frequência e intolerância ao exercício, pois se cansa facilmente. Emagrecimento, podendo chegar a caquexia (enfraquecimento e emagrecimento exagerados), desmaios e até ascite (barriga d’água) devido à Insuficiência Cardíaca Congestiva. Estes cães gravemente acometidos são classificados como grau III da doença.
Quais são os fatores de risco para que um cão seja acometido?
Viver em regiões endêmicas da doença. Cães com vida ao ar livre, que passam a maior parte do tempo expostos ao ambiente, mas principalmente, cães SEM TRATAMENTO PROFILÁTICO!
Como prevenir o Verme do Coração em Cães?
Por conta de cada vez mais cães estarem viajando junto com seus tutores, isso aumentou o número de casos de Dirofilariose nos grandes centros, onde não era comum esse tipo de doença.
Por este motivo, é aconselhado que se faça uma profilaxia, para evitar que o seu cachorro seja picado por um mosquito contaminado ou, no caso de ser picado, para fazer com que as microfilárias que entrarem na circulação morram antes de atingir a idade adulta.
A prevenção se faz mensalmente com uso de medicamentos específicos para prevenção da dirofilariose ou mesmo uso de vermífugos de amplo espectro, que além de prevenirem contra infestações de vermes intestinais, também atuam prevenindo contra a dirofilariose.
Para isso, converse com o médico veterinário do seu cachorro, para que ele possa te indicar qual o melhor remédio, pois como existem diferenças entre os medicamentos, é importante que o médico veterinário avalie inclusive se o seu cão está apto para receber esta medicação!
Isso é muito importante!!! Não é qualquer cachorro que pode ser medicado com esses preventivos!!! Ele precisa ser examinado por um médico veterinário para ver se é possível fazer esta prevenção!!!
Como tratar um cachorro com Verme do Coração?
O tratamento pode ser voltado para matar os parasitas adultos ou para matar as microfilárias.
O tratamento adulticida não está mais sendo indicado, pois a morte dos parasitas adultos dentro do cão podem gerar graves complicações, com formações de trombos que dependendo de onde eles se fixem, podem obstruir artérias e veias importantes, levando a quadros de infarto local e suas possíveis consequências, inclusive a morte do animal.
 
Logo, o tratamento é voltado no sentido de matar as microfilárias e, com isso, evitar que novos parasitas cheguem à idade adulta, que são os vermes que podem gerar as maiores complicações ao animal.
É claro que para isso, o seu cão deve ser examinado e diagnosticado por um médico veterinário para que se faça o tratamento corretamente!
Portanto, mais uma vez, o melhor é sempre prevenir! Fazer consulta anual e um check up para saber se o seu melhor amigo está bem, podem salvá-lo de possíveis complicações futuras!

 

 

Recomendados Primeiro Para Você:

  • Meu cachorro tem uma tosse seca que parece estar engasgado, este é um sintoma da doença? Ele tem estas crises quase dia inteiro, em certos periodos.

  • Boa noite, meu pet tem 06 anos e foi diagnodticado com filária,estou com muito medo.Está tendo uns desmaios mas está tomando gadernal.Oque fazer?Qual o melhor tratamento para meu pet. por favor me ajudem.Paero de dar o gadernal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *