Cachorro e piscina em casa: pode ser perigoso para o cachorro?


Se você tem piscina em casa e também tem um cãozinho pode ser que surjam algumas dúvidas sobre o que pode e não pode e também sobre o quão perigoso pode ser para o seu cãozinho uma piscina em casa com livre acesso para ele. Então, quer saber se cachorro e piscina combinam?

Pensando que essa relação entre cachorro e piscina levanta muitas dúvidas, resolvemos fazer esse post com algumas dicas para garantir a segurança do seu cachorro na piscina.

1- Nem todo cachorro sabe nadar

Não assuma que o seu cãozinho sabe nadar. Apesar de ter um instinto de sobrevivência na água, nem todos os cães sabem ou conseguem nadar.

O nado cachorrinho pode te levar a pensar que todos sabem nadar, mas algumas raças simplesmente não conseguem, principalmente as raças braquicefálicas ou que tem patinhas mais curtas.

Cães pouco ativos ou com algum quadro de obesidade podem apresentar dificuldades para nadar também, neste caso, além de supervisão constante e bem próxima ao animal existem coletes flutuadores para o cães.

→ O uso dos coletes salva-vidas não dispensam a presença de um humano capaz de ajudar o animal ao lado dele quando o cachorro estiver na piscina

2- Nunca deixe o cachorro sozinho

Independente da raça, idade e destreza do cão ao nadar, ele jamais deve ficar sozinho na piscina.

A maioria dos cães até sabem ou conseguem nadar, no entanto, a maior parte dos afogamentos caninos ocorrem porque eles não conseguem sair da piscina. Hoje você consegue encontrar escadas de piscinas feitas para cães, que auxiliam a saída deles da água, mas mesmo assim, não pode deixá-los sozinhos.

Inclusive, quando for sair e seu cãozinho ficar sozinho tente ao máximo restringir o acesso dele na piscina, seja cercando ou cobrindo ela com uma lona.

3- Não force o cachorro a entrar na piscina

A ideia da piscina é distrair e proporcionar um bom momento para nós humanos e para os cães também. Forçar que o seu cachorrinho entre na piscina pode ser traumático para ele.

Nunca jogue o seu cachorro, mesmo os que gostam de água e de nadar, na piscina e vá sempre respeitando o tempo dele. Deve partir dele o interesse, tente ter brinquedos dele na água para que ele se sinta mais confortável com a situação e faça associações positivas entre cachorro e piscina.

4- Cuidado com o Sol

O horário do sol deve ser respeitado. Até às 10h da manhã e após às 16h. Os níveis de UV são maiores entre esses horários e também fazem mal para os cãezinhos, além disso quanto mais quente, maior a exaustão deles ao fazer um exercício.

Se possível aplique e reaplique filtro solar, especiais para os cães, principalmente nas regiões com menos pelo como os focinhos, orelhas e ao redor dos olhos.

Especialistas dizem que a reaplicação deve ocorrer a cada 2 ou 4 horas para que tenham a eficácia desejada.

5- Piscina não é um super pote de água para beber

Calor e exercício podem gerar uma sede no seu cãozinho, mas não deixe que eles façam a piscina de pote de água. Eventualmente eles podem até beber água ali, mas não deixe que isso vire uma rotina ou hábito.

A água da piscina possui uma quantidade elevada de cloro e sua ingestão em grandes quantidades pode causar vômitos e diarréias. Sempre  que observar esse comportamento no seu cão reprima, mas lembre-se de ter paciência para que ele não faça correlações negativas com a piscina.

6- Cuidados pós-banho são essenciais

Durante a brincadeira temos que tomar cuidado com muitas coisas, mas o pós piscina também demanda alguns cuidados.

Sempre, depois de um banho de piscina é importante que o cachorro tome banho com shampoo para remover o cloro e evitar alergias e problemas de pele.

Depois do banho de limpeza, é importante secar bem o cachorro para evitar fungos em regiões como as orelhas e as patas.

Otites caninas são reais e os mergulhos devem sempre ter um cuidado especial com as orelhas dos cãezinhos, proteja-os ao máximo.

Um ponto importante é ter em mente também que algumas raças têm uma propensão maior a gostar de água e consequentemente quererem e saberem nadar. Golden Retriever, labrador, poodle e cocker spaniel são algumas das raças que tem uma relação boa com a água e provavelmente o cachorro e a piscina terão uma relação melhor.

Por outro lado, buldogues (franceses ou ingleses), bassets, pugs, shih tzus e cães da raça maltês, pequinês e chow chow são fisicamente perigosos para essa relação cachorro e piscina. Eles tendem a afundar, portanto, tenham um cuidado maior com esses cães quando próximos a piscinas.

Fique atento(a) às nossas redes sociais, sempre trazemos novidades e dicas para seu pet 😉

INSCREVA-SE também no canal do Youtube! 

https://www.dicasboaspracachorro.com.br/youtube

Nosso Blog:

https://www.dicasboaspracachorro.com.br

Siga-nos nas redes sociais:

https://instagram.com/dicasboaspracachorro

http://www.facebook.com/dicasboaspracachorro

Recomendados Primeiro Para Você: