Cachorros para apartamento: raças, dicas e regras/direitos em condomínios.


Todo mundo quer um cachorrinho, mas principalmente quem mora em apartamento precisa se atentar a algumas questões, regras de condomínio, direitos e também quais raças se adaptam melhor aos apartamentos sem grandes problemas.

Neste artigo, o Dicas Boas pra Cachorro vai te mostrar quais as 10 melhores raças  para se ter em apartamentos, as dicas para que eles vivam bem e em harmonia com a casa e o que o condomínio pode ou não impor quanto às regras para os cachorros nas dependências.

10 raças que se adaptam bem a vida em apartamentos:

Nas grandes cidades, as pessoas estão cada vez mais condicionadas a morar em lugares menores, como os apartamentos, mas a vida na cidade pode ser muito sozinha e estressante e um cachorrinho vai ser sem dúvidas uma ótima companhia, principalmente se você passa bastante tempo sozinho.

No entanto, apenas amor e vontade não são o suficiente para que esses companheirinhos de 4 patas se sintam bem. O tamanho reduzido dos apartamentos pode fazer mal para algumas raças maiores e mais enérgicas. Estresse, irritabilidade e hiperatividade são algumas das doenças que podem ser desenvolvidas por alguns cães em condições de confinamento e limitação das atividades.

Por isso, para esse estilo de vida, o ideal são raças menores que se adaptam facilmente e que, geralmente, não precisam de rotinas de exercícios muito puxadas. Porém, isso não quer dizer que qualquer raça de pequeno porte vai ser boa para apartamentos. 

Para te ajudar listamos 10 raças que podem ser escolhidas para te acompanhar em apartamentos.

Yorkshire Terrier

Essa está entre as melhores raças para se ter em apartamentos. No geral, não passam dos 20 cm, são inteligentes e não precisam de muitos exercícios diários. Os cuidados com a raça ficam por conta dos pelos que precisam de escovação frequente, tosa e banhos até semanais.

  • Nível de energia: baixo
  • Expectativa de vida: 13 anos
  • Pelagem: lisa, abundante e fina
  • Tamanho: 20 cm – 24 cm
  • Peso: 2,5kg – 4,5kg
  • Preço: R$400 – R$3.000
  • Pontos positivos: Inteligentes e independentes
  • Pontos negativos: Cuidados especiais com pelo e são muito apegados aos donos.

 

  • Shih Tzu

Essa raça é ótima para apartamentos e para pessoas que trabalham fora. Os cães dessa raça se adaptam bem ao espaço reduzido e não apresentam muitos problemas em ficar sozinhos.

Assim como o yorkshire, a raça shih tzu também exige cuidados com a pelagem.

  • Nível de energia: baixo
  • Expectativa de vida: 16 anos
  • Pelagem: Longa e ondulada
  • Tamanho: 20 cm – 27 cm
  • Peso: 4 kg – 8 kg
  • Preço: R$400 – R$2.000
  • Pontos positivos: alegres, companheiros e dóceis
  • Pontos negativos: banhos semanais e “possessividade” com os donos

 

  • Pug

São cães pequenos, raramente vão latir e só o ato de andar por dentro de casa e algumas horinhas de brincadeira vão ser o suficiente para sanar a necessidade de exercícios que eles precisam.

  • Nível de energia: médio
  • Expectativa de vida: 15 anos
  • Pelagem: curta
  • Tamanho: 25 cm – 28 cm
  • Peso: 6 kg – 12 kg
  • Preço: R$800 – R$2.500
  • Pontos positivos: companheiros, dóceis e não latem muito
  • Pontos negativos: possuem dificuldades com a respiração e podem exigir cuidados especiais, principalmente nos dias muito quentes.

    Jack Russel

São cães que se dão super bem com a vida em apartamentos, mas precisam de atividades externas e de exercícios físicos, afinal, foram criados para serem cães de caça.

  • Nível de energia: muito alto
  • Expectativa de vida: 15 anos
  • Pelagem: curta
  • Tamanho: 23 cm – 30 cm
  • Peso: 4kg – 7 kg
  • Preço: R$1.800 – R$3.000
  • Pontos positivos: inteligentes, protetores, ótima socialização com crianças e ágeis
  • Pontos negativos: teimosos, precisam de exercícios ao longo do dia, nível de energia bem elevado.

  • Dachshund

    Os famosos salsichinhas. Os cães da raça dachshund são super inteligentes e podem ser ótimos companheiros, principalmente para idosos, mas a inteligência deles pode se tornar uma teimosia.

    Vão passar horas cheirando os cantos da casa e, portanto, uma caminhada pode ser o suficiente para que ele gaste energia e bata a cota de exercícios diária.

    • Nível de energia: baixo
    • Expectativa de vida: 15 anos
    • Pelagem: curta
    • Tamanho: 20 cm – 25 cm
    • Peso: 4kg – 5 kg
    • Preço: R$300 – R$700
    • Pontos positivos: companheiros, protetores e gostam de brincar
    • Pontos negativos: teimosos e podem latir bastante

 

Poodle

Talvez o mais comum nas famílias brasileiras, principalmente as que moram em apartamentos.

Dentre as variações que a raça apresenta, a poodle toy e a micro toy são as melhores para apartamentos. A raça se dá super bem com crianças de todos os tamanhos, e apesar dos latidos, que podem ser controlados, são excelentes companheiros para se ter em apartamentos.

  • Nível de energia: médio
  • Expectativa de vida: 17 anos
  • Pelagem: abundante e crespa
  • Tamanho: até 45 cm
  • Peso: até 7 kg
  • Preço: R$300 – R$1.000
  • Pontos positivos: inteligentes e se dão bem com crianças
  • Pontos negativos: são teimosos e latem bastante

    Bulldog Francês

São cães que se dão super bem com crianças e outros animais. É um cachorrinho que você vai querer passar horas assistindo por serem naturalmente engraçados, desastrados e bagunceiros.

Super companheiro e ativo, o bulldog francês vai exigir cuidados especiais com a pele e em dias muito quentes pois também sofre com o focinho curto que pode ocasionar alguns probleminhas de dificuldade respiratória.

  • Nível de energia: muito alto
  • Expectativa de vida: 12 anos
  • Pelagem: curta
  • Tamanho: 30 cm – 35 cm
  • Peso: 8 kg – 14 kg
  • Preço: R$1.500 – R$5.000
  • Pontos positivos: inteligentes, amigáveis e dóceis
  • Pontos negativos: precisam de cuidados especiais com a saúde e controle do peso

    Spitz Alemão

O famoso Lulu da Pomerânia cada vez mais frequente nos lares brasileiros é uma excelente opção para quem mora em apartamentos pois é literalmente uma miniatura de cachorro.

Possuem boa socialização e seus cuidados especiais devem ser com pelagem e atenção, essa raça pode sofrer bastante com a separação dos donos, então famílias que sempre tem alguém em casa são mais aconselhadas para essa raça.

  • Nível de energia: médio
  • Expectativa de vida: 15 anos
  • Pelagem: abundante e lisa
  • Tamanho: 18 cm a 60 cm (bem raro atingir esse tamanho)
  • Peso: 3kg – 5 kg
  • Preço: R$1.000 – R$4.200
  • Pontos positivos: companheiros fiéis
  • Pontos negativos: latido excessivo e dificuldade em ficar sozinho

    Schnauzer

A versão miniatura desta raça é uma boa opção para vida em apartamentos.

A raça se dá bem com crianças, gosta de brincar e é super dócil. Apesar do pouco espaço necessário para viverem bem, eles precisam de exercícios físicos frequentes para manterem uma vida saudável.

  • Nível de energia: médio
  • Expectativa de vida: 15 anos
  • Pelagem: longa
  • Tamanho: 30 cm – 35 cm
  • Peso: 5 kg – 8 kg
  • Preço: R$450 – R$2.000
  • Pontos positivos: Dócil e brincalhão
  • Pontos negativos: Pode latir muito, teimoso e esconde comida pela casa

    Chihuahua

Super colados aos donos, esses cãezinhos podem ser excelentes opções se você passa bastante tempo em casa. A solidão não é um ponto forte deste cãozinho e esse apego ao dono pode gerar inclusive um “ciume” caso estranhos se aproximem.

Exercícios muito longos e elaborados são dispensáveis, mas isso não quer dizer que brincadeiras não são necessárias, pra essa raça com a energia que tem elas são quase regra.

  • Nível de energia: muito alto
  • Expectativa de vida: 15 anos
  • Pelagem: curta
  • Tamanho: até 23 cm
  • Peso: 0,5 kg – 3 kg
  • Preço: R$1500 – R$4.000
  • Pontos positivos: ótimos cães de guarda, fiéis e cães bem resistentes
  • Pontos negativos: latem muito, escondem objetos e comida pela casa, podem sofrer com solidão e tem medo de muitas coisas

 

→ Não deixe de navegar pelo nosso blog para saber mais sobre essas e outras raças.

 

Dicas para cuidar de cachorros em apartamentos:

Ter um cachorrinho é muito bom e é o sonho de muitas pessoas, mas as limitações de um apartamento às vezes podem ser um empecilho para que elas adotem um cãozinho. 

A alegria de abrir a porta e ter um cachorrinho te esperando, pronto para brincar e receber amor, independente de qualquer coisa que esteja acontecendo no mundo é muito gratificante e vai superar os “trabalhos” que podem demandar.

Pensando em ajudar a tornar mais fácil a vida ao lado de um cãozinho dentro de casa listamos algumas dicas que vão te ajudar e muito a lidar com o seu cachorrinho.

Cuidados básicos: 

Comida de acordo com porte, raça e idade; água sempre disponível; local para o cachorro fazer as necessidades (longe o suficiente dos potinhos de água e comida e da caminha); e caminha com brinquedos.

Gastar energia: 

O espaço limitado dos apartamentos demanda que passeios e brincadeiras em locais maiores seja frequente com esses cãezinhos, ou eles podem se transformar em verdadeiros destruidores de móveis.

Adestramento: 

É importante que seu cãozinho seja educado desde cedo para evitar problemas. Isso não quer dizer que cães mais velhos não aprendam, eles apenas levam mais tempo quando comparados aos filhotes.

Segurança: 

É importante que o apartamento esteja preparado para receber seu cãozinho com segurança, e isso quer dizer: redes em janelas e varandas, cuidado com plantas que podem ser tóxicas e objetos que podem ser engolidos por eles.

Higiene do pet e do ambiente: 

Banho e tosa devem estar sempre em dia, os cães têm cheiro característico que pode passar para o ambiente e uma higienização apenas do ambiente não vai sumir com esse cheiro. É importante que o cãozinho esteja sempre de banho tomado e, consequentemente, cheiroso para que  tudo fique perfeito. De tal forma, o ambiente também precisa de cuidados, principalmente porque queda de pelos, xixis e cocôs acidentais podem ocorrer.

Dê atenção ao seu cachorro: 

É extremamente importante que eles tenham um momento de atenção exclusiva. A rotina corrida que nós humanos temos pode deixá-los ansiosos  e estressados, principalmente, se não tiverem a atenção que precisam. Esse momento pode ser passeando, brincando ou até mesmo de carinho.

O que saber sobre cachorros em apartamentos e condomínios:

Um dos maiores problemas que podem ter relacionados aos cachorros em condomínios, principalmente cachorros em apartamentos, é sobre regras impostas pelos condomínios que às vezes chegam a restrições dos animais. 

Apesar de em alguns casos os cães serem realmente problemáticos, os condomínios não podem proibir animais de estimação.

A restrição de animais de estimação dentro de casa é uma infração à Constituição Federal e nenhuma regra ou regulamento interno é maior que a Constituição. Apenas um juiz pode  fazer essa proibição, isso depois do dono do animal apresentar todas as defesas e for julgado pertinente a retirada do animal do local. Essa retirada se dá perante provas concretas de que o animal causa perturbação no local ou é um perigo para o entorno.

Mesmo que as regras do condomínio sejam mudadas, os pets podem morar nos condomínios, mas claro que é importante que o convívio seja consciente e responsável para que não haja problemas.

Isso vale inclusive para regras como ser obrigado a carregar os cães no colo ou restrição de acesso. Essas regras são consideradas constrangimento ilegal de acordo com o Art. 146 do Decreto-lei Nº 2.848/40. Lógico, que obedecendo ao bom senso do tutor e com o pet em condições saudáveis, o trânsito pelas dependências do condomínio devem ser livres, independente do porte do animal.

 Existem, no entanto, deveres que os tutores devem estar atentos. É responsabilidade do tutor que a segurança de todos em volta seja garantida (Art. 42, IV do Decreto-Lei Nº 3.688/41), por isso, os cães devem sempre ser mantidos próximos aos tutores e em guias quando nas áreas comuns, bem como utilização de focinheiras para aqueles que apresentam comportamento agressivo, como previsto em lei.

Crianças não podem estar desacompanhadas com os pets, o tutor deve limpar todos os dejetos deixados pelo pet nas áreas comuns ou no próprio apartamento, pois caso contrário medidas podem ser tomadas pelo condomínio por possui risco de transmissão de doenças e incômodo por mau cheiro.

Outras situações que podem ocasionar ação judicial por parte do condomínio são latidos excessivos e barulhos com unhas do cão, principalmente se infringirem a lei do sossego (Art. 42, IV do Decreto-Lei Nº 3.688/41). Outra possível situação é denuncia por maus tratos aos animais, por isso é importante que as condições de vida do seu cãozinho sejam as melhores possíveis.

 

Fique atento(a) às nossas redes sociais, sempre trazemos novidades e dicas para seu pet 😉

INSCREVA-SE também no canal do Youtube! 

https://www.dicasboaspracachorro.com.br/youtube

Nosso Blog:

https://www.dicasboaspracachorro.com.br

Siga-nos nas redes sociais:

https://instagram.com/dicasboaspracachorro

http://www.facebook.com/dicasboaspracachorro

Recomendados Primeiro Para Você: