Sinais de estresse em cães.


Você sabe dizer se o seu cão está apresentando algum sinal de estresse canino? Cães são animais complexos com emoções complexas, assim como nós humanos. Eles reagem à alegria, tristeza e consequentemente também são afetados pela rotina e pelo o meio onde vivem. Por isso, muito cuidado…o seu cão pode sofrer de estresse também.

E neste artigo mostraremos os sinais de estresse em cães que você pode identificar apenas ao observar o comportamento dele ao longo do dia.

Você sabe quais são os sinais de estresse em cães?

Os nossos cãezinhos estão muito vulneráveis à rotina das nossas casas. Não é atoa que nós frequentemente ouvimos falar que tratamento e a forma como o cãozinho cresce vai definir se ele vai ser agressivo, medroso, reativo ou qualquer outra característica relacionada ao comportamento.

Uma rotina saudável para o animal é essencial para manter não só a saúde física, como também a saúde mental deste animal. O estresse em cães é um perigo muito comum à realidade e a forma como o animal vive, principalmente nos dias de hoje, com tutores sempre atarefados, com pressa e colocando cada vez mais características humanizadas nos animais.

Fatores que podem causar estresse em cães

🔸Ausência de estímulos;

🔸Falta de socialização;

🔸Apego excessivo ao tutor;

🔸Confinamento em excesso.

🔸Uso de aversivos

🔸Punições positivas

Confira também: 10 dicas de treinamento para o seu novo cãozinho.

Consequências do estresse em cães:

Com o acúmulo de energia não extravasado de forma saudável, é comum observar os cães apresentarem comportamentos destrutivos, automutiladores, latidos constantes e hiperatividade.

Se não bastasse, um cachorro estressado tende a viver em constante estado de alerta com alterações fisiológicas importantes: 

Tem sua frequência cardíaca e respiratória aumentada, apresenta ofegância, alterações no sono e apetite, e como consequência queda da imunidade.

Com relação à linguagem corporal dos cães, é comum observar postura estática, orelhas ligeiramente coladas à face, inclinadas para trás, olhos arregalados, tremores, comportamento atípico, entre outros.

Para prevenir e/ou corrigir o problema, é importante estimular o cão física e mentalmente, e não esquecer de diversificar a rotina entre passeios, brincadeiras com o tutor, o uso de brinquedos, socialização com outros cães e momentos de descanso.

Caso o problema já esteja instalado, o primeiro passo é identificar o que está motivando o estresse no cão, rever a rotina e levar o cachorro ao veterinário para descartar eventuais problemas de saúde.

O mais importante deste artigo é chamar a sua atenção para o caso de você utilizar aversivos com seu cão, que são ferramentas que levam a algum tipo de incômodo ao cão, como por exemplo, spray de água na cara dele, fazer barulhos altos com uma lata cheia de moedas, usar enforcador e ficar dando trancos na guia… são alguns exemplos de aversivos.

O uso das punições positivas, que estão associadas muitas vezes ao uso de aversivos, também devem ser eliminadas da sua rotina com seu cão. Jamais faça uso delas.

Se ainda assim o problema persistir, consulte um especialista em comportamento canino.

Fique atento(a) às nossas redes sociais, sempre trazemos novidades e dicas para seu pet 😉

INSCREVA-SE também no canal do Youtube!
https://www.dicasboaspracachorro.com.br/youtube

Nosso Blog:
https://www.dicasboaspracachorro.com.br

Siga-nos nas redes sociais:
https://instagram.com/dicasboaspracachorro
http://www.facebook.com/dicasboaspracachorro